Estranho planeta e nele essa gente estranha. Sujeita ao tempo, não o reconhece. Tem seu jeito de expressar seu desagrado. Faz pequenas fotografias assim como esta: Nada especial à primeira vista Vê-se a rua. Vê-se suas calçadas. Vê-se um táxi inerte. Vê-se a faixa de pedrestres e gente fora dela. Essa gente claramente apressa o…

Ler mais

Em “Infância” e nas autobiografias seguintes, Coetzee refere-se a si mesmo apenas pelo pronome “ele”. Até mesmo sua decisão em escrever sob o nome J.M. Coetzee – elidindo “John” e inserindo uma inicial no meio levando a mal entendidos sobre ele por décadas (o M. significa Maxwell, não Michael) – cria uma cortina em torno…

Ler mais

Zurique, setembro de 2014 Da cozinha para sala de estar. Do quarto para o banheiro. Descer as escadas e pegar a correspondência. De casa para o metrô. Um passeio noturno. Você caminha cerca de 7.500 passos a cada dia. Se viver até os oitenta, e queira Deus que sim, dará cerca de 200 milhões de…

Ler mais

Registros de uma primeira visita a uma gira de Umbanda, em 2014. Fui em algumas outras e devo tantas visitas que nem sei mais. Adoro essa imagens e esses momentos. Lembro de em uma conversa com a Lulu, depois de algumas tequilas, uísques e cervejas, numa espécie de hipofania, dizer que pela primeira vez na…

Ler mais

Percorri esse caminho durante quatro anos (2006-2009). Cem quilômetros diários e cerca de 90 caminhos alternativos para lugares que eu nunca visitei, entre Nova Serrana e Divinópolis-MG. “And hopefully I will carry on, and develop it, because it is worthwhile. carry on because it matters when other things don’t seem to matter so much (…)…

Ler mais