Aquele que deseja diz então que morre de vontade de fazer uma, mas que também morre de medo

Duas pessoas caminham com a cabeça baixa olhando para a tela do celular e trombam de frente uma com a outra na esquina da Teodoro com a Pedroso.

Um homem aborda outro e o pergunta como é lidar com tatuagens. Pergunta se há um tipo específico de tratamento, aponta, se aproxima e quase toca a tatuagem no antebraço esquerdo daquele que enquanto fuma explica que há sim alguns cuidados que se deve ter logo após fazer: passar pomadas, não comer certos alimentos, cobrir com plástico etc. Aquele que deseja diz então que morre de vontade de fazer uma, mas que também morre de medo.

Outro homem aborda o mesmo da tatuagem e o pergunta de uma forma meio acanhada, como quem se envergonha e quer de alguma forma esconder algum segredo: “onde ficam as mulheres por aqui?”. Passam-se alguns segundos até ele se dar conta então de que o homem procura os bordéis próximos.”Ahhhh”, diz então com um sorriso no rosto, que denota uma certa cumplicidade com esse homem que ele nunca mais verá e que sai com um sorriso no rosto, ao sol do meio dia.